Uísque é uma bebida versátil. Pode ser consumido puro, misturado ou até mesmo em um coquetel. Há quem diga que colocar gelo no copo estraga o destilado. Porém, para os especialistas no segmentado, seu uísque vai ficar muito melhor com um pouco d’água.

Essa é mais uma daquelas típicas discussões de mesa de bar: uísque puro ou com um pouco de água? Alguns defendem que, macho de verdade, deve beber a bebida pura. Ou, como é conhecida popularmente, uísque cowboy (mais abaixo, vamos explicar a origem desse termo). Afinal, é uma bebida envelhecida, bem trabalhada e diluí-la seria um perjúrio aos deuses da birita.

Porém, os mais renomados master distillers (comparado ao mestre-cervejeiro ou enólogo) são enfáticos ao afirmar que um bom uísque merece sim uma tímida dose de água. E, agora, a ciência corrobora essa informação.

RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS TODA QUARTA-FEIRA. NÃO SE PREOCUPE, ODIAMOS SPAM!

Em estudo publicado no jornal Scientific Reports, cientistas da Universidade de Lineu (Suécia) constataram que adicionar alguns poucos mls de água ao copo de uísque potencializa o sabor e aroma da bebida. Isso porque o destilado possui um composto orgânico chamado guaicol, responsável pelas características notáveis do uísque, que interage tanto à água quanto ao etanol presente no líquido. Quando misturado à água, as moléculas de guaicol passam a se concentrar na parte superior do copo, bem perto à borda e, consequentemente, ao seu nariz e boca. Como resultado, se destacam todas as nuances do uísque.

Porém, essa reação química só acontece com uísque de teor alcoólico próximo aos 40-50% (que é aquele que estamos acostumados a beber, como Jack Daniel’s. Johnnie Walker, Jameson, etc).

Logo, adicionar água ao uísque é, de certa forma, modificar a bebida em um nível molecular. Primeiro, você diminui a sensação de queimação causada pelo teor alcoólico. Isso, por si só, já é um bom negócio. Em segundo, a água pode revelar diferentes aromas e sabores, de acordo com a produção de cada uísque. O mesmo acontece ao adicionar pedras de gelo. Diminuir a temperatura também traz uma nova perspectiva para a bebida, além de evitar que as moléculas aromáticas evaporem rapidamente.

 

/ Uísque cowboy, por favor

A expressão é autoexplicativa. Beber uísque ao estilo cowboy é bebê-lo puro, sem gelo, sem água, sem dó. No velho-oeste americano, onde a bebida nasceu e se popularizou, esse modo de beber era para homens de verdade. Inclusive, os relatos históricos revelam que os cowboys bebiam uísque como hoje bebemos tequila. Uma dose pequena, guela abaixo. Daí, não tem como adicionar água ou colocar gelo, não é?

Até porque, naquela época, a bebida não era devidamente envelhecida, tampouco tinha boa qualidade. E tem mais: em um diário datado de 1800, encontrado no Forte Bent, em Colorado (EUA), descobriram um tipo de relato sobre o consumo de uísque no período do bang-bang. Nos saloons (botecos daquela época) a bebida era vendida misturada com suco (ou chá) de folha de tabaco e pólvora de revolver. Aparentemente, nossa forma de beber uísque cowboy é bem melhor do que os donos da receita, não?

Ah, já ia me esquecendo. Só para mostrar a relação do uísque com a água, uma curiosidade: a palavra whiskey é uma modificação de uisce que, em galês antigo, significa… água.